Jan 30, 2012
25 Views
0 0

Arquivos do Megaupload podem ser apagados na quinta-feira

Written by

O fechamento do site de compartilhamento de arquivos Megaupload há uma semana desencadeou uma série de reações. Além dos ataques de hacktivistas à indústria da música e do cinema e a sites do governo americano, foi detectado um aumento no uso de redes de compartilhamento de arquivos P2P. Por fim, os serviços semelhantes ao Megaupload tomaram algumas medidas para tentar escapar do mesmo destino do concorrente.

Desde declarações mostrando diferenças entre os serviços, em uma tentativa de se distanciar das acusações de atividades ilegais, até o bloqueio de compartilhamento de arquivos.

Veja algumas dessas medidas nos mais populares sites de compartilhamento.

  • Filesonic – Desabilitou o compartilhamento de arquivos e agora apenas guarda arquivos pessoais. Deixou de oferecer contas premium.
  • Fileserve – Interrompeu o compartilhamento de arquivos, fazendo com que usuários só pudessem baixar arquivos que eles mesmo subiram no serviço. Além disso, o Fileserve exluiu arquivos múltiplos, proibiu contas premium e fechou seu programa de afiliados.
  • VideoBB – Fechou o programa de afiliados.
  • Filepost – Suspendeu contas de usuários que enviaram material ilegal.
  • Uploaded.to – Bloqueou o acesso de usuários americanos.
  • Videozer – Fechou o programa de afiliados.
  • Filejungle – Está testando o bloqueio de acesso para IPs dos Estados Unidos.
  • Uploadstation – Está testando o bloqueio de acesso para IPs dos Estados Unidos.
  • 4shared – Começou a deletar contas e arquivos de usuários que violem direitos autorais.
  • Enterupload – Fechou o serviço, redirecionando seu endereço a outro site.
  • MediaFire – Em comunicado, o fundador do serviço deixou claro que o site leva as violações dos termos de serviço “muito a sério” e que é apenas um serviço de armazenamento na nuvem, tentando afastar o serviço da polêmica sobre conteúdo ilegal.
  • RapidShare – O advogado da empresa, em entrevista para a Fast Company, afirmou que a tecnologia para upload do RapidShare e do Megaupload é a mesma, assim como é igual a de serviços como o Dropbox ou o iCloud da Apple. Ele disse que o compartilhamento de arquivos não é o problema, mas sim a motivação por trás do negócio. Em postagem no Facebook, a empresa tranquilizou usuários dizendo que se diferencia do Megaupload pois “nunca quis fugir do acesso legal de qualquer administração” e não se sente ameaçada.

Entenda o caso
As autoridades dos Estados Unidos, incluindo o FBI (polícia federal americana), tiraram o Megaupload e outros 18 sites afiliados do ar na noite do dia 19 de janeiro (horário de Brasília) por considerar que o site faz parte de “uma organização delitiva responsável por uma enorme rede de pirataria virtual mundial”. O Megaupload teria causado mais de US$ 500 milhões em perdas ao transgredir os direitos de propriedade intelectual de companhias. As autoridades norte-americanas consideram que por meio do site, que conta com 150 milhões de usuários registrados, e de outras páginas associadas, ingressaram cerca de US$ 175 milhões.

Em resposta ao fechamento do Megaupload, o grupo de hackers Anonymous bloqueou temporariamente o site do Departamento de Justiça, do FBI e o da produtora Universal Music, entre outros na noite de 19 de janeiro, horário de Brasília. De acordo com os hackers, foi o maior ataque já promovido pelo grupo, com mais de cinco mil pessoas ajudando.

No dia 20 de janeiro na Nova Zelândia, noite de 19 de janeiro no Brasil, a polícia neozelandesa realizou uma operação na qual confiscou dos detidos e do Megaupload bens avaliados em US$ 4,8 milhões, além de US$ 8 milhões depositados em contas abertas em diversos bancos do país. Nesta operação, Kim Schmitz, mais conhecido por Dotcom, fundador do Megaupload, e os outros três envolvidos, foram presos. Desde então, outros acusados de participar do negócio, alguns fugitivos, vêm sendo presos ao redor do mundo. Dotcom, que teve o pedido de fiança negado, está preso desde o dia 20 de janeiro na Nova Zelândia e deve permanecer até o dia 22 de fevereiro, quando termina o prazo do pedido de extradição para os Estados Unidos.

Megaupload Ltd., e outra empresa vinculada ao caso, a Vestor Ltd, foram indiciadas pela câmara de acusações do Estado da Virgínia (leste) por violação aos direitos autorais e também por tentativas de extorsão e lavagem de dinheiro, infrações penalizadas com 20 anos de prisão. Embora tenham participado da operação, as autoridades da Nova Zelândia não devem apresentar acusações formais contra o site.

O anúncio do fechamento do Megaupload ocorreu em meio a uma polêmica nos Estados Unidos sobre dois projetos de lei antipirataria, o Sopa (Stop Online Piracy Act), que corria na Câmara dos Representantes, e o Pipa (Protect Intelectual Property Act), que era debatido no Senado, contra as quais se manifestou, entre muitos outros, o site Wikipédia, interrompendo seu acesso no dia 18 de janeiro, e o Google mascarando seu logo. O protesto foi chamado de apagão ou blecaute pelos manifestantes.

 

fonte: site Life Hacker.

Article Categories:
Informática

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *