Jun 5, 2011
531 Views
0 0

Marcha da Maconha – Legalize Nunca!

Written by

Apesar da agenda médica cheia, não posso me omitir em dar minha opinião sobre esta palhaçada intitulada “Marcha da Maconha”. Fico cada vez mais triste e sou levado a concluir que a população brasileira merece o que tem. Lula e Dilma sugando quase metade de um ano de trabalho em impostos e ninguém se mobiliza, mas para fazer bagunça pedindo a legalização de uma droga, um bando de babacas da classe média enche as ruas? A cada dia, eu chego à conclusão que a única saída para este pais é mesmo o aeroporto!

Nem adianta tentar debater sobre o tema, pois não consigo sequer conceber nenhum argumento válido para tamanha estupidez. Mas vou tentar, em respeito a você, leitor. Eis os seus argumentos:

Legalizando e regulamentando o consumo de drogas os recursos que o governo utiliza para combater (sem resultados proporcionais) o narcotráfico,  poderiam destinar-se a combater mais eficazmente  na prevenção e reabilitação dos viciados;

Você realmente acredita nessa besteira? O governo já é incompetente o suficiente para não garantir o pleno direito a saúde da população que não pode contar com um plano de saúde privado (como os manifestantes que participaram da marcha) e agora vai ser eficiente com programas de reabilitação? Fala sério. Cite um país onde isso tenha funcionado! Tem que ter fumado muita maconha pra acreditar nisso, como o FHC e o Carlos Minc!

Legalizando e regulamentando o consumo de drogas se elimina o narcotráfico, uma importante fonte de oferta de drogas, que se encarrega de “fazer propaganda” do produto entre os mais desprotegidos da sociedade (crianças e jovens), com os quais os narcotraficantes fazem um esforço para “fisgá-los”.

Vamos lá! O cigarro é uma droga lícita, legalizada, certo? Cujo preço é predominantemente constituído de impostos, concorda? Por que? Para desestimular e restringir seu uso e aumentar a receita do Estado, para que aqueles que insistem em utilizá-lo, mesmo tendo conhecimento dos problemas de saúde causados por ele, paguem um preço alto para manter o vício, mesmo tendo os lugares permitidos para o fumo a cada dia mais restritos. Você sabia que o Paraguai, nosso vizinho pobre, tem uma produção de cigarros 30 vezes maior que seu consumo interno: a fabricação de 87 bilhões de unidades por ano para um mercado de 2,5 bilhões. Há 36 fábricas no Paraguai, 25 delas com capacidade de produzir em larga escala. Para você ter uma idéia, sabe-se que o Brasil abriga cinco indústrias de cigarro, fora as que atuam clandestinamente sonegando impostos. Pêlo de rato, asas de inseto, pedaços de barbante, plástico e grãos de areia. Não, não é uma receita qualquer de bruxaria, esses ingredientes estão na composição dos cigarros falsificados e contrabandeados para o Brasil. Milhões de brasileiros não sabem que tragam essas substâncias, tão sofisticadas são as falsificações. A venda de cigarro clandestino não se restringe mais às bancas de camelôs. São maços e maços presentes em quase 50% dos pontos-de-venda do País – padarias, bares, restaurantes, bancas.
Agora vamos levar essa “experiência” para a maconha. Em primeiro lugar, a legalização aumentaria a oferta, reduzindo o preço e acabando com o tráfico, certo? Além de não acabar com o tráfico, facilitaria o acesso à maconha a pessoas sem maturidade suficiente para exercer seu direito de escolha: os jovens. Você tem visto propagandas de cigarros? Não? Porque foram proibidas. E mesmo proibidas o número de adolescentes que experimentam e se viciam vem crescendo, pois basta ir a uma banca, mercearia, mercadinho e comprar. Agora, imagina a maconha no mesmo patamar…

Os “chapados” querem justificar o erro da legalização do tabaco e do álcool, que existe hoje, em favor da legalização da maconha, como se um erro justificasse o outro. A maconha já deve ter feito seu estrago em seus neurônios. Quer dizer, se um dia eles tiveram algum :). Eu queria entender qual é a lógica de nossos “intelectuais”, nossos “artistas” que apoiam a legalização ao mesmo tempo que defendem a descriminalização. Eu concordo com a descrimininalização também, por entender que um viciado é um doente e não um criminoso, alguém que precisa de tratamento e não cadeia, assim como os viciados em tabaco, que deram o primeiro passo para o câncer de pulmão, traquéia e outras doenças. Entretanto, que hipócrita reconhece isso ao mesmo tempo que defende a legalização? Hipócrita o suficiente para reconhecer que usou bastante no passado, antes de constituir uma família, mas que agora não o faz com a mesma frequência. Por que, se é tão bom? Honestamente, não entendo como usar uma substância que altera seu estado natural e te faz fugir da realidade pode resolver os problemas. Por que não tentam a meditação? É mais barato e não tem contra-indicação. Será que é porque dá trabalho e acender um cigarro de maconha é mais fácil? Mas por que parar na maconha? A cocaína tem um efeito mais forte. Ops, ia esquecendo da heroína, obtida da papoula, usada a vários séculos como planta medicinal na Ásia. Não é esse outro grande argumento: os fins medicinais da maconha? Por que não legalizar todas as drogar e acabar de vez com o tráfico? Não é essa a lógica? Não esqueça que a maconha comprovadamente é a porta de entrada dos viciados no mundo da droga.

Os grandes consumidores*

Usuários de drogas ilícitas no mundo – 200 milhões
Maconha – 163 milhões
Anfetaminas – 34 milhões
Cocaína – 14 milhões
Opiáceos – 15 milhões
*O uso de uma substância não elimina o de outra

A Maconha

Também apelidada de baseado, erva, tora, bagulho, fininho, beise, a maconha é derivada das folhas de uma planta chamada cannabis sativa, que contém a substância ativa THC-Delta-9, o Tetrahidrocanabinol. É originária da Ásia Central e conhecida há mais de 200 anos. O uso constante pode levar a problemas pulmonares (seu teor de alcatrão é maior do que o do cigarro comum) e até ao câncer, porque nela existe uma substância chamada “benzopireno” um conhecido agente cancerígeno. Há estudos que apontam que a maconha diminui, no homem, a quantidade de testosterona, reduzindo o número de espermatozóides. O homem não fica impotente, mas pode ficar estéril.

 

Folha de maconha

Efeitos fisiológicos

Além do cérebro, os efeitos colaterais da maconha podem atingir outras partes do corpo. A maconha possui centenas de substâncias químicas e, quando é queimada, outras centenas delas são produzidas. Ao ser digerida ou inalada em qualquer outra forma, inúmeros efeitos colaterais acontecem a curto prazo. Alguns deles são:

  • problemas com a memória e com o aprendizado
  • percepção distorcida
  • dificuldade com pensamentos e solução de problemas
  • perda da coordenação
  • aumento dos batimentos cardíacos
  • ansiedade, paranóia e ataques de pânico

Os efeitos iniciais criados pelo THC da maconha passam depois de uma hora ou duas, mas as substâncias químicas permanecem no seu corpo por muito mais tempo. A meia-vida do THC é estimada entre 20 horas a 10 dias, dependendo da quantidade e da potência da maconha utilizada. Isso significa que se você usar um miligrama de THC que possui uma meia-vida de 20 horas, 0,031 mg desta substância ainda estará no seu corpo depois de quatro dias. Quanto mais longa a meia-vida, mais tempo o THC permanecerá em seu corpo.

O debate sobre a intensidade do vício à maconha continua. Estudos, ainda em andamento, mostram os inúmeros sintomas possíveis associados à interrupção do uso da maconha. Estes sintomas quase sempre incluem: irritabilidade, nervosismo, depressão, ansiedade e até raiva. Outros sintomas são inquietação, mudanças importantes no apetite, ataques de violência, sono leve ou mesmo insônia. Além destes possíveis efeitos físicos, uma dependência psicológica quase sempre se desenvolve, pois a mente do usuário ambiciona o sentimento de leveza que consegue ao usar a droga.

Além destes efeitos que a maconha possui, os que a fumam estão suscetíveis aos mesmos problemas de saúde dos que fumam tabaco, como bronquite, enfisemas e asma. Outros efeitos incluem boca seca, olhos vermelhos, coordenação motora e concentração debilitados. O uso prolongado da droga pode aumentar a chance de danos aos pulmões e ao sistema reprodutivo, de acordo com a Agência Americana de Combate às Drogas (DEA – Drug Enforcement Agency). Seu uso também tem sido associado a infartos.

Em Brasília, a tentativa da tal “marcha” contou com funcionários públicos (que já não trabalham mesmo) e estudantes ( digo, alunos ) da UnB, pois estes alienados que estavam presentes procuram qualquer motivo para não estudar e não merecem ser chamados de estudantes. A maioria, é claro, da classe média/alta, se intitulando “pessoas esclarecidas”, mas que não passam de alienados, sem coragem de lutar por uma causa que seja realmente importante, como acabar com a desigualdade social no Brasil. Ainda tive que ouvir um imbecil defendendo a legalização e dizendo que “quando seu filho tiver idade para escolher, será ele aquele que fornecerá o baseado”. Um idiota como esse não deveria sequer ter o direito de ser pai!

Até agora a campanha pela legalização das drogas vem, felizmente, sofrendo oposição por parte da maioria da sociedade. As políticas de combate ao crime devem, sim, mudar. Não basta mais dizer: não às drogas. Temos que afirmar com a mesma veemência: não ao crime. Sair as ruas para reivindicar e permitir que nossa indignação ultrapasse as janelas de nossas casas.

LEGALIZAÇÃO? NUNCA!

[poll id=”20″]
Article Categories:
Saúde

Comments to Marcha da Maconha – Legalize Nunca!

  • Gostei bastante de seus argumentos, muitos amigos meus jovens estão entrando nesse mundo, da drogas, tento ajuda-los mas acham que tudo oque falo é um papo “nerd”. Mais ainda nao desisti e nem vou…

    Você é um grande professor e tenho certeza que todos sentirão sua falta Lenilton, obrigado pela paciência. Mesmo que tendo aula só por 4 meses você é o professor mais “cabuloso” que já tive. Sucesso em tudo, abraço.

    Daniel Botelho June 8, 2011 1:05 am Reply
  • a legalização da maconha tem tudo para dar errado, basta usar o cigarro como exemplo, porém, o combate a droga deve ser aprimorado e melhor elaborado pois, comprar maconha e mais facil que comprar remedio.
    Francamente, os alunos da unb já fizeram protesto mais respeitados. vamos combater os altos impostos ou simplesmente a corrupção brasileira. !!!

    ricardo andrade de oliveira June 10, 2011 10:44 pm Reply
  • Muito lúcido o post, mas tenho de discordar de um ponto: o da descriminalização do uso sob o argumento de que usuários seriam viciados. Esta não é uma realidade, pois parte considerável do uso criminoso de substâncias alucinógenas e entorpecentes não é viciada e é inteiramente responsável pela sua escolha.

    Aliás, antes de atingir o vício, o usuário teve a escolher de fazer ou não uso de drogas, portanto, salvo o caso de crianças e menores de idade, acho absolutamente inadequado descriminalizar o uso. Isso só tenderia a contribuir para o fortalecimento do crime.

    A questão a meu ver é a que tipo de pena deveriam estar sujeitos usuários de drogas. Não se deveriam ou não ser responsabilizados por sua conduta criminosa.

    Isso porque, quando se fala em drogas ilícitas, está se está no território das substâncias que causam simplesmente prejuízos à saúde do consumidor. E sim de drogas que DEFORMAM a percepção da realidade, colocando em risco demais membros da sociedade.

    É preciso, a meu ver, parar de tratar drogas ilícitas como um problema que diz respeito simplmesnte à saúde dos usuários, pois estas substâncias, além de não afetar apenas a saúde física, mas também psíquica, envolve problemas sociais. Aliás, drogas e criminalidade sempre tiveram relação estreita, independente do tráfico.

    Portanto, a pressuposição de que a legalização acabaria com o narcotráfico só poderia ter partido de um economista que NADA entendia sobre drogas, no caso Milton Friedman, hoje lastimavelmente imitado por tantos, como FHC, para alegria da esquerda festiva, que sempre teve na cultura da droga uma de suas bandeiras.

    Katia June 19, 2011 11:54 pm Reply
  • PS — Favor relevar os (muitos) erros de digitação. Infelizmente, não revisei o texto antes de postá-lo.

    Mas o conteúdo, a despeito de alguns trechos que comprometem a compreensão, transmite a essência da ideia pretendida.

    Katia June 19, 2011 11:56 pm Reply
  • LIBERAR A MACONHA E SUA PLANTAÇÃO PARA USO PRÓPRIO OU COLETIVO NO BRASIL É RECONHECER DEFINITIVAMENTE A FALÊNCIA DOS PODERES PÚBLICOS ( GOVERNOS FEDERAL, ESTADUAIS E MUNICIPAIS ) NA LUTA CONTRA AS DROGAS EM GERAL. É DESTRUIR POR COMPLETO O POUCO QUE RESTOU DA SAUDOSA ‘INSTITUIÇÃO FAMILIAR’. NOS ÚLTIMOS 30 ANOS, CASAMENTOS TEM SIDO DESFEITOS EM DIAS, MESES OU NO MÁXIMO EM ALGUNS POUCOS ANOS, DEIXANDO FILHOS COM ETERNOS PROBLEMAS PSICOLÓGICOS E PSIQUIÁTRICOS, VÍTIMAS FÁCEIS DOS TRAFICANTES DE DROGAS, QUE ACABAM ADOTANDO-OS E TRANFORMANDO-OS EM ESCRAVOS DAS DROGAS. O GRANDE BARATO MESMO É TER A CORAGEM DE ENFRENTAR A VIDA DE CARA LIMPA, SEM NENHUM TIPO DE DROGA NA CABEÇA OU NO CORAÇÃO. PARABENIZO AQUI O ESCRITOR MAIS LIDO E QUE MAIS VENDE LIVROS NO MUNDO – PAULO COELHO – EX-VICIADO E EX-INTERNADO – QUE RECENTEMENTE DISSE NA REDE GLOBO, NO PROGRAMA “FANTÁSTICO” QUE ” O VICIADO EM DROGAS PERDE O QUE ELE TEM DE MELHOR, QUEÉ O SEU PODER DE DECISÃO”. OUTRA FERA NO ASSUNTO, O RENOMADO MÉDICO PSIQUIÁTRA RONALDO LARANJEIRA, AFIRMOU PARA A CAMPANHA DROGA MATA O SEGUINTE: “LIBERAR A MACONHA É TRANSFORMAR O BRASIL NO MAIOR MACONHAL DO MUNDO”. É PRECISO QUE OS GOVERNOS INVISTAM PESADO EM CAMPANHAS EDUCATIVAS CONTRA AS DROGAS EM GERAL, AO INVÉS DE RECONHECER O SEU FRACASSO NA LUTA CONTRA AS DROGAS, QUE DEVE SER UMA GUERRA PERMANENTE, 24 HORAS POR DIA. INFELIZMENTE NO BRASIL É MAIS FÁCIL UMA PESSOA GANHAR SOZINHA NA MEGA SENA ACUMULADA, DO QUE CONSEGUIR TRATAMENTO MÉDICO ESPECIALIZADO E GRATUITO NO FÁLIDO SISTEMA PÚBLICO HOSPITAR DO BRASIL, ONDE A INTERNAÇÃO PARA RECUPERAR OS VICIADOS SIMPLESMENTE NÃO EXISTEM, DEIXANDO OS VICIADOS E SEUS FAMILIARES COMPLETAMENTE ABANDONADOS A SUA PRÓPRIA SORTE. * MAURO BORGES. AUTOR E COORDENADOR NACIONAL DA VALENTE E GUERREIRA CAMPANHA DROGA MATA. 30 ANOS NA LUTA CONTRA AS DROGAS PROÍBIDAS OU LIBERADAS NO BRASIL. EM TEMPO: EIKE BATISTA, O EMPRESÁRIO MAIS RICO DO BRASIL, TEM DITO NA IMPRENSA QUE SEU SONHO É SER O HOMEM MAIS RICO DO MUNDO. O MEU SONHO, É FAZER A MAIOR CAMPANHA EDUCATIVA CONTRA AS DROGAS DO MUNDO. (MAURO BORGES http://www.drogamata.com.br)

    MAURO BORGES June 20, 2011 9:13 am Reply
    • Corcordo totalmente no seu argumento!

      andressa machado March 8, 2012 2:59 pm Reply
  • na verdade todo mundo ou maioria das pessoas ja usaram canabis ou querem usar todo querem q legalizem porque o trafico perde poder e perdendo poder o dinhero na circula e si nao circula nao tem trafico

    edvanio paulo da silva June 28, 2011 2:48 pm Reply
  • Sou contra agora digo de anti-mão….
    Imagine só se for legalizada…
    Todo o narcotrafico de todos os países, e toda sorte de viciados e vagabundos,
    estariam hospedados no brasil… kkk bacana!!!
    (se o governo nao destruior o país, que já está acontecendo). Aquela anta da Dilma, analfabeto Lula, palhacada do Tiririca Netinho de Paula .. fala serio bando de imbecis… mais quem bota essas pessoas no poder sao mais imbecis que a mesma… acorda brasil

    Giovanni July 26, 2011 9:40 pm Reply
  • O uso de qualquer droga intensamente tronar a pessoa fragilizada, a esquecer dos seus próprios sonhos.

    Sou ex-usuário da MACONHA e sei bem o que ela faz e transforma as pessoas. No tempo que eu era usuário eu achava muito interessante a “legalização”, pois para que usa não se importa com as consequências e sim com o local onde compraria e usufruiria. Mas hoje depois de uma reviravolta na minha vida, percebo bem os dois lados da moeda. Tenho medo de que um dia isso se torne realidade, imagine só meu filho usando “maconha” quando mais novo, e quando ele ficar mais velho oque ele vai ser? Oque ele vai está usando? Será que vai ser uma pessoa estagnada na vida sem expectativa do futuro? Antes de rever os conceitos que os jovens de hoje são o futuro do amanhã e do nosso país, eu que vou fazer caminho para ele percorrer, lutando agora para evitar a catástrofe.

    A verdade agora é para re-educar os usuários e viciados para lutar por uma boa causa.

    Digamos não a legalização.

    Ildon August 17, 2011 7:39 pm Reply
  • Nem todo mundo sabe, mas as fibras do cânhamo (a conhecida maconha) podem ser utilizadas para fabricar roupas, levantar paredes e compor a estrutura de um carro, devido à sua resistência (ela é duas vezes mais forte que outras fibras orgânicas). As sementes, no entanto, costumam ser descartadas. Mas isso está para mudar.Aproveitando o potencial oleaginoso das sementes da maconha, o programa Polymer, da Universidade de Connecticut nos EUA, desenvolveu um biodiesel com altíssima taxa de aproveitamento: 97% do óleo das sementes foi convertido em combustível.

    Por que a maconha é proibida? Porque faz mal à saúde. Será mesmo? Então, por que o bacon não é proibido? Ou as anfetaminas? E, diga-se de passagem, nenhum mal sério à saúde foi comprovado para o uso esporádico de maconha. A guerra contra essa planta foi motivada muito mais por fatores raciais, econômicos, políticos e morais do que por argumentos científicos. E algumas dessas razões são inconfessáveis. Tem a ver com o preconceito contra árabes, chineses, mexicanos e negros, usuários freqüentes de maconha no começo do século XX. Deve muito aos interesses de indústrias poderosas dos anos 20, que vendiam tecidos sintéticos e papel e queriam se livrar de um concorrente, o cânhamo. Tem raízes também na bem-sucedida estratégia de dominação dos Estados Unidos sobre o planeta. E, é claro, guarda relação com o moralismo judaico-cristão (e principalmente protestante-puritano), que não aceita a idéia do prazer sem merecimento – pelo mesmo motivo, no passado, condenou-se a masturbação.

    Maconha faz mal?Taí uma pergunta que vem sendo feita faz tempo. Depois de mais de um século de pesquisas, a resposta mais honesta é: faz, mas muito pouco e só para casos extremos. O uso moderado não faz mal. A preocupação da ciência com esse assunto começou em 1894, quando a Índia fazia parte do Império Britânico. Havia, então, a desconfiança de que o bhang, uma bebida à base de maconha muito comum na Índia, causava demência. Grupos religiosos britânicos reivindicavam sua proibição. Formou-se a Comissão Indiana de Drogas da Cannabis, que passou dois anos investigando o tema. O relatório final desaconselhou a proibição: “O bhang é quase sempre inofensivo quando usado com moderação e, em alguns casos, é benéfico. O abuso do bhang é menos prejudicial que o abuso do álcool”.
    LEIA >http://super.abril.com.br/ciencia/verdade-maconha-443276.shtml

    danielle caldani September 3, 2011 10:55 am Reply
  • Fumo maconha mesmo e sou a favor da legalização. Essas pessoas que são contra não precisam fumar e 70% da população brasileira fuma e não sai do armário com medo de repressão.Doutores, juízes. deputados todo mundo fuma…

    Renan February 5, 2012 11:43 pm Reply
    • Que 70 % fuma larga mão de ser tendencioso,porquê que todo mundo que fuma maconha acha q a sociedade inteira fuma ?Não meu amigo a sociedade inteira não fuma sinto muito,não se baseie em dados falsos e no que “você acha”, a maconha é uma droga prejudicial sim e pode acabar com o futuro do nosso país.Imagina quantos acidentes de trânsito,quantos novos esquizofrênicos,e quantos alienados …Antes que me esqueça esquizofrenia é isso acreditar e inventar histórias e talvez vc já esteja com o começo da doença.Não a legalização da maconha.Puro interesse político de deputados que querem se eleger, tudo massa de manobra de caras que nunca sequer tragaram a substância, o tempo que fazem uma marcha porque não param de fumar é mais fácil…Pergunto para quê fumar maconha ?Pra ficar retardado ?

      Elias Goldberg February 10, 2012 1:01 pm Reply
      • Boa pergunta Elias, haha. Alem disso, se chegar a esse nivel de pessoas fumando, seria só para perceber como a população está cada vez mais burra!

        andressa machado March 8, 2012 3:01 pm Reply
  • Vocês são uns animais …..
    Quem já ouviu falar que algum viciado(usuário) de maconha matou ou cometeu algum crime ? pra caralho bando de burgueses….
    A maioria dos que postaram estas merdas , devem usar algo pior , crack , cocaina , heroia..pra merda …
    Se informem antes de falar e LEGALIZE JÁ !!!!!!!!!!!!!!

    Vantuir Alves November 15, 2012 8:23 pm Reply
    • Acho que a única pessoa que precisa se informar é você. Na verdade, acho que o você poderia pensar em usar menos, pois não devem restar muitos neurônios na sua cabeça. Se ainda consegue ler (pois entender tá difícil), tente ler esse link
      http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/files/2012/10/arte-maconha.jpg
      P.S. Se não conseguir, PEÇA AJUDA A ALGUÉM.

      Lenilton Braga November 30, 2012 8:25 am Reply
      • Lenilton, li o seu artigo e ratifico muitos pontos expostos nele mas a Veja está com a credibilidade muito reduzida em relação a esse tema depois que sua ultima matéria apresentou diversos erros de definição e informações demasiadamente generalizadas. A discussão sobre a legalização ou a descriminalização da maconha me tira do sério constantemente porque desvia a atenção de outros assuntos muito mais triviais. Não acho que um simples “deixe quem quer usar usar, oras” resolva mas de fato as coisas não estão funcionando bem do jeito que se encontram. Quem está ganhando em cima disso tudo é uma minoria traficante.

        Alexandre Bonfim November 30, 2012 8:58 am Reply
  • usam drogas estão doentes e não falam por si, na verdade são como animais, seguem seus instintos, como os zumbis do jogo resident evil 4, tem um virus que transforma as pessoas em zumbis inteligentes, antes de serem infectados eles não querem se transformar em um zumbi, mas depois eles gosta, porque eles perderam a capacidade de raciocinar, a mesma coisa com as drogas.

    braiam November 22, 2012 9:15 pm Reply
  • Tipo a maconha nao e bom pra niguem mais tipo cada vez que os visiados usao de da vontade de funar mais e mais ae quando ele nao tem dnheiro ele sao capas de mata, rouda etc …

    karol melo April 8, 2013 8:33 pm Reply

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *