Oct 31, 2013
46 Views
0 0

O poder das redes sociais

Written by

Entrei em contato com o escritório local para formalizar minha reclamação, e após falar, falar e falar, me mandaram enviar um email para a ouvidoria, já que eles não podiam (e não queriam) fazer nada a respeito. Escrevi o tal email e nada de resposta. Desisti. Liguei para a ANEEL que me informou que não podia fazer nada até que eu tivesse ESGOTADO toda e qualquer tentativa de resolver o problema com a COELCE.

Muita coisa mudou desde que a privatização e a terceirização desenfreadas começaram a desmontar o Brasil. Tínhamos serviços básicos levados mais a sério do que temos hoje.  Antes, o dinheiro do Estado era usado para instalar serviços onde não existiam pelo simples fato de ser possível. Hoje, com a privatização de algumas áreas, o mais importante é o lucro. Posso colocar nesse cesto a telefonia, as telecomunicações de forma geral (cabo, Internet, satélite), água e esgoto, transportes e finalmente energia elétrica. A parte operacional destas empresas é quase ou totalmente terceirizada. E qual o problema nisso? Caros leitores, são vários!

Quando a terceirização é feita pelo Estado, o objetivo claro é corrupção. Se eu não posso colocar funcionários pela janela no funcionalismo público, pois exige concurso, eu acabo com os cargos e terceirizo as vagas para uma empresa privada, onde eu, político, posso forjar uma licitação e escolher uma empresa de um amigo ou colaborador de campanha. Essa é a receita da corrupção hoje em dia. Quem pode fiscalizar o quadro de funcionários de uma empresa prestadora de serviços? Ninguém, ela é privada. Ai eu posso colocar toda a minha família que não é nepotismo. Acreditem, a corrupção também evolui. O problema é que quando você coloca pessoas que não tem um vínculo direto com a empresa, elas não se comprometem, pois hoje estão ali e amanhã podem estar em outro lugar.

Mas, se a qualidade dos serviços é ruim, você pode reclamar numa agência reguladora, certo? Claro. E sua reclamação será encaminhada à fada do dente, depois ao coelho da Páscoa para, no fim, ser entregue ao Papai Noel. As agências reguladoras são cabides de empregos, criados para facilitar e disfarçar o aparelhamento do Estado liberal. Elas não funcionam. Não resolvem nada. Só resolvem algo se isso puder ser explorado pela mídia e justificar sua existência, como no caso recente das empresas de telefonia celular, que foram impedidas de vender chips até melhorar a qualidade dos serviços. Melhoraram?

Na iniciativa privada, o objetivo é cortar gastos e reduzir salários. E o mais importante, impostos e encargos trabalhistas. Ao invés de contratar um funcionário por R$2000,00 por mês (salário mais encargos trabalhistas), você contrata uma empresa que disponibiliza 2 funcionários para você. Não importa que cada um esteja agora ganhando um salário mínimo, pois não é responsabilidade sua. Você economizou, é o que importa. Resultado? Alta rotatividade em cargos que exigem baixa ou nenhuma escolaridade e serviços prestados com qualidade inferior e sem motivação.

Aqui no Ceará, esbarrei no mostro burocracia para começar a fazer alguma coisa, mas nada que o dinheiro não pudesse transpor. Entretanto, a qualidade dos serviços nesta parte do país ainda é muito precária, quase artesanal. A precariedade é diretamente proporcional à distância da capital, Fortaleza. Tive problemas aqui com equipamentos, em função de que a qualidade da energia ser muito ruim. São 5 quedas rápidas de energia por dia, que resolvi com a instalação de no-breaks, mas que só seguram os equipamentos ligados por 30 minutos a 1 hora (dependendo do que é ligado). Até ai, não tive problemas, pois as quedas duravam minutos. O problema maior se dava nos finais de semana, quando a cidade fica repleta de turistas que ligam seus aparelhos de ar condicionado e numa rede mal dimensionada, provocam queda de tensão. No aspecto local, uma solução inicial seria mudar a configuração do transformador local, permitindo uma tensão secundária maior, mas nem isso foi feito.

Globalmente, Canoa Quebrada ainda é vista pela COELCE como uma praia com um punhado de “bicho-grilho” e recebe um ramal da cidade de Aracati, ao invés de uma subestação. Mas por que isso? Porque instalar uma subestação custa dinheiro e o bem estar público não é mais importantes do que as metas de lucro no final do ano. Na verdade, a COELCE – Companhia de Eletricidade do Ceará é a ENDESA, uma empresa do ramo de energia que atua em boa parte do país com concessões de energia elétrica.

Entrei em contato com o escritório local para formalizar minha reclamação, e após falar, falar e falar, me mandaram enviar um email para a ouvidoria, já que eles não podiam (e não queriam) fazer nada a respeito. Escrevi o tal email e nada de resposta. Desisti. Liguei para a ANEEL que me informou que não podia fazer nada até que eu tivesse ESGOTADO toda e qualquer tentativa de resolver o problema com a COELCE. Eu deveria solicitar a COELCE que instalasse um medidor de tensão na minha casa para constatar a queda de tensão. O cara da COELCE daqui riu na minha cara e disse que isso não existia. O problema continuou e a tensão em casa ao invés de 220V, que é a tensão que eles tem a OBRIGAÇÃO fornecer, eles entregavam 175V, que embora não cause problemas em aparelhos modernos com voltagem automática (100v~240v), danificam aparelhos como geladeiras, motores, dentre outros. O meu problema é que ao atingir 190 volts, o nobreak “pensa” que existe problemas e muda para a bateria. Quando esta tensão fica a noite toda em 170-180, ele se desliga ao término da bateria e só volta a funcionar se a tensão atingir 191 volts.

Assim, mudei minha estratégia. Em meio a muita gente insatisfeita, fiz uma reclamação qualificada e respaldada por provas incontestáveis: uma foto de um multímetro ligado à rede elétrica. Onde? No twitter! 🙂 Comecei a postar fotos com a tensão a noite e a hashtag da coelce. E na primeira noite, BINGO. Podemos ajudar? A COELCE está seguindo você no twitter.

Como uma imagem vale mais que mil palavras, acompanhe o desenrolar da história…

twitter
tensao

É isso que o novo marco da Internet e as investidas do PT podem impedir , o direito à livre expressão, que garante a você o direito de incomodar aqueles que prestam péssimos serviços onde realmente incomoda: nas mídias sociais, que estão cheias de porcarias, mas que também informam.

Article Categories:
Cotidiano

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *